Vice da Câmara xinga ministro da articulação política em cerimônia

O vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho (PMDB-MG) e o ministro da articulação política, Antonio Imbassahy (PSDB) (Foto: Montagem com imagens de Bernardo Caram e Valter Campanato, G1 e Agência Brasil)

O vice-presidente da Câmara, deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), xingou nesta quarta-feira (13) de "bosta" e "merda" o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy (PSDB), na cerimônia de assinatura da venda da folha de pagamento da Casa para a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil.

Segundo o peemedebista, Imbassahy "tem o rei na barriga" e é o "pior ministro da articulação política que um governo podia ter".

“Você é um bosta, é um merda”, gritou Ramalho em direção a Imbassahy, ministro responsável pela articulação política do Palácio do Planalto com o Congresso Nacional.

“Deve ter o rei na barriga”, completou o vice-presidente da Câmara, antes de ser interpelado pelo deputado Beto Mansur (PRB-SP), que tentou apaziguar os ânimos. Imbassahy não respondeu aos insultos do deputado do PMDB.

A assessoria de Imbassahy informou ao G1 que o ministro tucano não vai se manifestar sobre o assunto.

O desentendimento ocorreu pouco antes do início da solenidade, realizada no salão verde da Câmara. O presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), estava no local, mas disse não ter visto a confusão.

Procurado pelo G1, Fábio Ramalho explicou que os xingamentos ao ministro da Secretaria de Governo foram motivados por um episódio que havia ocorrido mais cedo no Planalto.

De acordo com o vice da Câmara, ele estava no palácio na manhã desta quarta e foi ignorado por Imbassahy ao encontrá-lo em um corredor.

“Eu estava no palácio e chamei ele [Imbassahy], mas ele passou com desprezo. Se ele não me atende bem no palácio, porque eu tenho que cumprimentar? Não tem isso. Falei com ele: ‘você é um péssimo ministro, é o pior ministro de articulação política que um governo podia ter’”, enfatizou.

Questionado sobre se é um problema o ministro responsável pela articulação política ter atritos com um dirigente da Câmara, Ramalho respondeu:

“Quem faz relação com o Congresso se chama Michel Temer. Se dependesse dele [Imbassahy], o Michel não votava nada aqui. Ele se acha o dono da verdade, se acha o alto clero. O alto clero aqui somos nós que votamos”, ironizou.