Autoridades estão preocupadas com baixo índice de vacinação contra HPV no MA

Autoridades estão preocupadas com baixo índice de vacinação contra HPV no MA Desde 2014, o Ministério da Saúde vem desenvolvendo uma campanha para incentivar a vacinação contra o HPV.

Por Ana Paula Cardoso, TV Mirante, G1 MA

17/07/2017 07h19 Atualizado há 6 horas

Autoridades de Saúde estão preocupadas com baixo índice de vacinação contra o HPV

Autoridades de Saúde no Maranhão estão preocupadas com o baixo índice de vacinação contra o HPV. Na região Sul do estado já foram realizadas campanhas em escolas, mas ainda assim a procura pela vacina é baixa. Desde 2014, o Ministério da Saúde vem desenvolvendo uma campanha para incentivar a vacinação contra o HPV. No início voltado apenas para meninas, agora em 2017 os meninos que tem entre 11 e 15 anos também entram no grupo de prioritários para a vacinação.

Em Balsas, a 810 km de São Luís, já foram aplicadas, desde o inicio da campanha, mais de 11 mil e 500 doses de vacina, mas com a ampliação do público alvo a coordenadora de Imunização, Lucimara Moura, estima que mais de sete mil e quinhentos adolescentes devem ser vacinados só esse ano. “É importante que os pais, os responsáveis por esses adolescentes procurem a unidade de Saúde para que possa fazer a realização dessa vacina. É uma vacina extremamente importante. Nós trabalhamos com a vacina quadrivalente que protege os qutro principais tipos de vírus HPV que são considerados hoje precussores de câncer de colo de útero, câncer de pênis e câncer de ânus nos adolescentes e nos adultos. Então é importante que se valorize essa vacinação", explicou.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o HPV atinge mais 630 milhões de pessoas e é responsável por 5% de todos os cânceres dos homens e 10% dos cânceres em mulheres. A vacina que previne esses cânceres está disponível na rede pública para os adolescentes porque é nessa faixa etária que o organismo responder de forma mais ágil produzindo os anticorpos necessários.

A médica ginecologista Débora Bagatim alerta sobre a importância dessa prevenção. Ela diz que vacinar contra o HPV na idade certa, evita complicações de saúde no futuro. “A intenção do governo em colocar uma vacina desse porte na rede pública é porque foi comprovado que a infecção por HPV em adolescentes ficou muito corriqueira e a nossa preocupação com a infecção do HPV é que ele pode futuramente depois de alguns anos trazer para essa adolescência uma lesão de colo que talvez seja precussora de câncer de colo de útero e no menino também. Ele tem o risco de câncer de pênis. Então o risco para os dois é o mesmo", disse.

A mesma vacina oferecida pelo Ministério da Saúde é encontrada na rede privada ao preço médio de 400 reais e a preocupação do secretário municipal de Saúde de Balsas, Luis Flávio de Lima Coelho, é devido à baixa procura dessa vacina que é tão importante. “Todos tem que ser vacinados. Elas estão disponíveis nos postos de Saúde e aguardando a presença de todos. A gente vai fazer campanha nas escolas, mas é importante que as pessoas saibam e vejam na televisão e procurem um posto de Saúde para obter a vacina".

Além da vacina contra o HPV também está disponível na rede pública a meningococita tipo C para meninos e meninas de 12 e 13 anos. Muitos já tomaram na fase infantil e precisam tomar um reforço.

HPV atinge mais 630 milhões de pessoas e é responsável por 5% de todos os cânceres dos homens e 10% dos cânceres em mulheres (Foto: Reprodução/ TV Mirante)